Cultura organizacional: o que é e qual a sua importância?

Tempo de leitura: 5 minutos

Toda organização tem sua própria cultura. Assim, como muitos funcionários gastam 40 horas ou mais em seu local de trabalho, a cultura da organização afeta tanto a vida profissional quanto a vida pessoal.

O que é a cultura organizacional? Qual a sua importância e como ela é criada? Veremos nos tópicos abaixo!

O que é cultura organizacional?

Em uma definição simples e direta, a cultura organizacional é a forma como as coisas são feitas.

Segundo o Business Dictionary, a cultura organizacional refere-se às crenças, ideologias, princípios e valores que os indivíduos de uma organização compartilham. Ela inclui as expectativas, experiências e filosofias de uma organização, além dos valores que guiam o comportamento de seus membros.

A cultura organizacional de sua empresa deve incluir a visão, valores, normas, sistemas, símbolos, linguagem, suposições, crenças e hábitos da organização. Este conjunto de suposições orientará o que acontece na empresa, definindo qual o comportamento adequado para cada tipo de situação.

Além disso, a cultura organizacional pode influenciar o quanto seus funcionários se identificam com a sua empresa e afetar a produtividade destes no local de trabalho.

Qual a importância da cultura organizacional?

A cultura organizacional é importante, pois ela cria:

Unidade

Uma cultura organizacional compartilhada ajuda a unir funcionários de diferentes demografias. Muitos funcionários dentro de uma organização vêm de diferentes origens, famílias e tradições e possuem suas próprias culturas.

Ter uma cultura compartilhada no local de trabalho proporciona um senso de unidade e compreensão uns para os outros. Assim, promovendo uma melhor comunicação e menos conflitos.

Fidelidade

A cultura organizacional ajuda a manter os funcionários motivados e leais à administração da organização. Se os funcionários se consideram parte da cultura de sua organização, eles estão mais dispostos a contribuir para o sucesso da entidade. Eles sentem uma maior sensação de realização por fazer parte de uma organização com a qual se importam e trabalhar mais sem precisarem ser coagidos.

Concorrência

A competição saudável entre os funcionários é um dos resultados de uma cultura organizacional compartilhada. Os funcionários se esforçarão para ter o melhor desempenho possível para obter reconhecimento e gratidão de seus superiores. Isso, por sua vez, aumenta a produtividade, o que ajuda a organização a prosperar e florescer.

Direção

As diretrizes contribuem para a cultura organizacional. Elas proporcionam aos funcionários um senso de direção e expectativas que os mantêm focados. Cada funcionário entende quais são seus papéis e responsabilidades e como realizar tarefas antes dos prazos estabelecidos.

Identidade

A cultura de uma organização define sua identidade. O modo de fazer negócios de uma entidade é percebido tanto pelos indivíduos que compõem a organização como por seus clientes e é determinado por sua cultura. Os valores e crenças de uma organização contribuem para a imagem da marca pela qual ela é conhecida e respeitada.

Cria embaixadores

Uma das maiores vantagens de uma forte cultura organizacional é que ela tem o poder de transformar funcionários em embaixadores.

E quando seus funcionários acham que são importantes, eles são mais propensos a se tornar defensores da cultura, ou seja, pessoas que não apenas contribuem para a cultura da sua organização, mas também a promovem interna e externamente.

Como a cultura organizacional é criada?

Os líderes são a base da criação de uma cultura organizacional. Contudo, sua manutenção não depende somente deles. Enquanto são o ponto de partida e arquitetos da cultura, esta influencia o tipo de liderança que é estabelecido na empresa.

Como falamos, uma cultura organizacional bem estabelecida orientará como as pessoas devem se comportar, ajudando o time a conquistar os objetivos de negócios. E quando eles atingem suas metas, a satisfação no trabalho aumenta e, com isso, a produtividade.

Dessa forma, a criação da cultura organizacional não é única. Os líderes podem ser influenciados por diferentes ambientes, fazendo com que a cultura interna se manifeste de várias maneiras, sendo as três principais:

  • Cultura de pessoal e cultura de mercado: como membros de uma organização conduzem negócios, tratam funcionários, clientes e a comunidade em geral. Na cultura de pessoal, as estruturas horizontais (relacionamentos de trabalho) são mais aplicáveis. As culturas de mercado são orientadas para os resultados, com foco na concorrência;
  • Cultura adaptativa: extensão em que a liberdade é permitida na tomada de decisões, o desenvolvimento de novas ideias e a expressão pessoal. A cultura adaptativa valoriza a mudança e é orientada para a ação, o que aumenta a probabilidade de sobrevivência ao longo do tempo;
  • Cultura de poder e cultura de hierarquia: como o poder e a informação fluem pela hierarquia organizacional e do sistema. Na cultura de poder, há um líder que toma decisões rápidas e controla a estratégia. Já a cultura de hierarquia é altamente estruturada. Ela se concentra em eficiência, estabilidade e em fazer as coisas corretamente.

Finalmente, as culturas são dinâmicas. Elas mudam constantemente em resposta às mudanças externas e internas. Portanto, tentar avaliar a cultura organizacional é complicado pela sua natureza.

Ou seja, é como se você estivesse tentando atingir um alvo em movimento, mas também abre a possibilidade de que a mudança cultural possa ser gerenciada como um processo contínuo e não somente por grandes mudanças.