Como identificar uma trinca no rebolo?

Tempo de leitura: 4 minutos

como identificar um rebolo

É um grande prejuízo para qualquer empresa quando alguma ferramenta na produção não apresenta o desempenho e a qualidade esperada, não é mesmo?

Em meio a tantas ferramentas que chegam diariamente, é essencial que seja feita uma verificação para evitar possíveis problemas, e assim, ter a certeza de que tudo estará em perfeito estado.

Quando falamos em rebolos abrasivos essa inspeção é primordial, pois através dela é possível detectar trincas ou rachaduras indesejadas.

Vamos apresentar abaixo duas formas de como identificar um rebolo trincado, desde a inspeção visual até o teste de som quando possível.

É importante você se atentar a todas essas formas para evitar maiores complicações na produção e garantir a segurança de todos os colaboradores.

O rebolo abrasivo é uma ferramenta que trabalha em alta velocidade, por isso é necessário identificar trincas e rachaduras ANTES que o mesmo seja colocado na máquina para funcionamento.

Caso contrário, o rebolo trincado poderá quebrar formando estilhaços, o que colocará em risco a vida dos colaboradores. Por essa razão, você deve saber como evitar os erros mais comuns na utilização dos rebolos para manter a segurança e ter um melhor desempenho.

Então, vamos ver as formas de como identificar um rebolo trincado!

#1: Inspeção Visual

A primeira etapa para identificar uma trinca é a inspeção visual, que deve ser feita na embalagem original.

Assim que o rebolo abrasivo chegar à sua empresa, você precisa ter a certeza de que o mesmo está em perfeitas condições de uso e com a qualidade desejada, sendo assim, a primeira verificação deverá ser na sua embalagem.

Se houver algum dano ou avaria na embalagem, é possível que o rebolo abrasivo também tenha sofrido alguma anomalia durante o seu manuseio ou transporte.

Por isso, é importante analisar o rebolo ANTES da montagem na máquina. Veja se há quaisquer sinais de trinca, para assim evitar acidentes e prejuízos.

Todo rebolo deve ser inspecionado visualmente antes da montagem na máquina!

Nesta etapa, assim que for identificada qualquer suspeita de irregularidade no rebolo ou na embalagem causada pelo transporte, manuseio ou armazenagem inadequada, o fabricante deverá ser informado.

#2: Teste de som

Essa segunda etapa aplica-se somente a rebolos de liga vitrificada.

Este teste é uma maneira dos fabricantes de rebolos abrasivos identificarem trincas ou rachaduras logo após a fabricação dos rebolos.

A partir do momento em que for encontrada alguma trinca no rebolo através desse teste, o mesmo já é descartado e nem avança para a etapa do teste de rotação do rebolo.

Se você suspeita que o rebolo abrasivo sofreu algum dano durante o transporte, pois a embalagem está bastante deformada, você também pode realizar este teste batendo cuidadosamente no rebolo com um instrumento não metálico leve, como por exemplo, o cabo de uma chave de fenda.

Os rebolos leves são suspensos, através do furo, utilizando-se um pino ou o dedo da mão. Já os rebolos pesados podem ser apoiados sobre uma superfície plana, limpa e dura.

Esse é um teste extremamente simples e importante, pois o som produzido pela batida tem característica diferente quando o rebolo está trincado.

Um rebolo em perfeito estado produz um som puro similar a um sino, enquanto um rebolo trincado produz um som abafado.

É fundamental a experiência prática e a sensibilidade do inspetor!

As batidas devem ser dadas em locais específicos, num ângulo de 45º graus e em quatro partes do rebolo, conforme a figura abaixo.

como identificar um rebolo
Como identificar um rebolo trincado – Teste de SOM

Ao aplicar o ensaio de som, os rebolos devem estar secos e livres de sujeira para evitar que o som seja amortecido.

É importante lembrar também que esse teste de som não é aplicável a certos rebolos devido à sua forma ou tamanho, conforme os exemplos a seguir:

  • Rebolos pequenos (diâmetro menor ou igual a 101,6 mm);
  • Rebolos com bucha roscada;
  • Rebolos montados em placas;
  • Rebolos com porcas inseridas;
  • Segmentos abrasivos.

Conclusão

Através da inspeção visual e do teste do som já é possível identificar uma trinca no rebolo abrasivo, mas é importante lembrar que o ensaio de som é subjetivo e não garante a total isenção de trincas ou falhas nos rebolos vitrificados.

A propagação do som é interrompida justamente por trincas consideradas de grandes proporções e que, muitas vezes, não são vistas a olho nu.

E no caso de pequenas trincas, pode ser que elas não sejam percebidas pelo ensaio de som, o que também pode depender da prática do inspetor.

Para saber quais são as principais causas das rachaduras ou quebras no rebolo, leia este artigo e conheça os motivos que causam prejuízos ao rebolo abrasivo, como: flanges inadequados, montagem inadequada, utilização dos rebolos sem rótulos, velocidade excedida e muito mais.

Evite todo e qualquer tipo de erro para ter uma indústria saudável e obter resultados garantidos para o seu negócio: tanto em produtividade como em qualidade!

Baixar Ebook Manual de Utilização dos Rebolos Abrasivos